Sob falso nome

Sob falso nome

Comecei por conhecer a banda sonora deste magnifico filme, «Sotto falso nome», em inglês titulado como «Strange crime», da autoria do grande Ludovico Einaudi, um compositor italiano de música contemporânea de que gosto muitíssimo e cujo trabalho sigo de há algum tempo a esta parte. A música é em si mesma uma obra-prima, das melhores que conheço deste compositor, e, além do mais, quadra muitíssimo bem com o filme.

O gosto de ver o filme surgiu daí. Como não sou muito de Netflix e aparentadas, procurei a versão do filme em DVD… creio que não há versão com legendas em português, eu pelo menos não a encontrei… (pelo menos em português de Portugal, pois não tentei o Brasil…. ) e não consegui encontrar nem mesmo uma versão em inglês (audio e/ou legendas)… talvez por o filme ser uma produção franco -italiana e suíça?!?…, finalmente encontrei uma versão italiana (audio) legendada em francês…  segue-se muito bem, apesar de tudo, ~pelo menos para quem sabe um bocadinho de italiano e alguma coisa mais de francês…

Realizado por Roberto Andò, o filme é um thriller erótico que conta a história de um escritor famoso e rico, Daniel Boltansky (Daniel Auteuil), que escreve sob pseudónimo, Serge Novak, por ser muito cioso da sua vida intima.  Um dia viaja por Itália, sob anonimato, para o lançamento de um dos seus livros, e no caminho conhece uma belíssima e sensual jovem (Anna Mouglais, que interpreta a personagem Mila / Ewa) com quem tem um episódico caso…. daí segue depois para Capri para o casamento do filho, (Giorgio Lupano, no papel de Fabrizio), descobrindo aí que tinha tido uma caso com a jovem noiva do seu filho…. a partir daí, tenta libertar-se do caso…. mas não só não o consegue como se vê depois não só envolvido intensamente com ela como se vê envolvido também numa trama de acusações, designadamente de ter plagiado a sua primeira obra (de muito sucesso) de um escritor judeu polaco (tal como o próprio Daniel Boltansky), chantagem e tentativas de extorsão…, além de se revelar que terá tido um passado polaco algo nebuloso e tortuoso….

Um magnifico e belo thriller erótico, com uma trama bastante complexa, com magnificas representações de que destaco, além das já referidas, também a da mulher do escritor, Greta Scacchi, no papel de Nicoletta, cujo visionamento recomendo vivamente para uns bons momentos de diversão com bela música, magnifica fotografia, ótimas interpretações e uma trama complexa, aliciante e estimulante.

 

 

 

André Freire
andre.freire@meo.pt

Professor Catedrático em Ciência Política. Foi diretor da Licenciatura em Ciência Política do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (2009-2015). É desde 2015 diretor do Doutoramento em Ciência Política do ISCTE-IUL. Investigador Sénior do CIES-IUL. Autor de numerosas publicações em livros e revistas académicas. Perito e consultor convidado de várias instituições nacionais e internacionais.

No Comments

Post A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.