Elegia

Elegia

“Elegia” (*) é um filme realizado por Isabel Coixet e que resulta da adaptação cinematográfica do romance de Philiip Roth, “O animal moribundo”.

O filme apresenta-nos a estória de um professor de literatura (protagonizado por Ben Kingsley), em Nova York, um vetusto senhor de cerca de 65-70 anos… mas “muito enxuto” e que o filho classifica de “serial dater”…, o qual se apaixona por uma aluna (protagonizada por Penélope Cruz).

Apesar da intensidade amorosa da relação entre o professor e a aluna, o primeiro hesita em entregar-se, seja pela inércia do seu “habitus” de vida, seja pela decalage etária entre os dois… o corolário das hesitações ocorre quando o professor falta à festa de graduação da aluna, em casa dos pais desta, para a qual estava convidado e com a qual se tinha comprometido… tal corolário cria um afastamento de dois anos… mas depois uma doença grave, embora não fatal…, vai propiciar o reencontro do casal….

Uma bela estória de amor, com uma nota de esperança e com especiais ressonâncias para quem está na fase da vida do chamado “plano inclinado”….

Um filme premiado, melhor realizador e melhor atriz. 5*

(*) Segundo a Wikipedia, “Na literatura, Elegia é uma poesia triste, melancólica ou complacente, especialmente composta como música para funeral, ou um lamento de morte.”

#elegy

#TheDyingAnimal

#philiproth

André Freire
andre.freire@meo.pt

Professor Catedrático em Ciência Política. Foi diretor da Licenciatura em Ciência Política do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (2009-2015). É desde 2015 diretor do Doutoramento em Ciência Política do ISCTE-IUL. Investigador Sénior do CIES-IUL. Autor de numerosas publicações em livros e revistas académicas. Perito e consultor convidado de várias instituições nacionais e internacionais.

No Comments

Post A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.