A RUMINAR

No presente artigo, pretendemos sobretudo fornecer um relato geral e interpretativo da campanha e dos resultados das eleições de 28 de abril de 2019. Começamos por dar uma visão geral da campanha, dos dois grandes medos em confronto, das posições dos partidos sobre os principais temas e dos debates na TV. Na última secção, iremos dar uma perspetiva dos resultados, do carácter tardio das decisões...

Estamos habituados a associar o nacionalismo às doutrinas e movimentos de direita, tanto mais à direita quanto mais vincado for o nacionalismo. Todavia, nos tempos da Revolução Francesa, geneticamente o nacionalismo surgiu associado à esquerda, então liberal e republicana. Mesmo na atualidade há vários movimentos nacionalistas que não só têm pedigree democrático como têm também um certo alinhamento à esquerda. Tal evidencia a diversidade dos...

Pode tranquilizar-se o leitor do JL que não é meu objetivo com esta crónica nem usurpar terrenos alheios, infletindo pela crítica de teatro, nem sequer exercitar quaisquer capacidades de «tudólogo».  O meu objetivo é tão só refletir sobre a importância cultural e política da obra de Sade, e também sobre a oportunidade da sua adaptação dramatúrgica. ...

A história ensina-nos que muitos ditadores chegaram ao poder por via eleitoral, em eleições livres e justas, e convém aprender com as lições do passado… e, por outro lado, pode discutir-se da pertinência de integrar os contestatários da democracia no seu seio. E tais reflexões devem servir também para o jornalismo. Pela nossa parte, parece-nos mais adequada a estratégia do «cordão sanitário». ...

A Proposta de Lei aprovada em Conselho de Ministros no passado dia 13, e já enviado à Assembleia da República, é um documento que rompe com o espírito e com a letra da lei de 1990 e recupera várias passagens do trabalho da Comissão governamental. Embora diferentes na sua exaustividade, não são contraditórios sendo ambos atravessados pelo mesmo propósito de valorizar o Serviço Nacional de...

Tendo o teste político feito prova da sua validade por via do maior desafogo em que todos vivem, Outubro de 2019 há-de obrigar, e não só pela ditadura das contas eleitorais, a que PS, BE, PCP e PEV mantenham a disposição de considerarem que os quatro anos que se hão-de seguir representarão outras tantas oportunidades para afirmarem e concretizarem as lições retiradas...

A presença do BE, PCP e PEV no governo só será relevante se representar, no plano programático, mudanças significativas na orientação política, por exemplo, a descentralização, a fiscalidade, os rendimentos, a saúde e o ensino. Está a dizer-se que estes partidos têm condições e estão à altura para ocupar lugares no aparelho do governo e que a sua presença representaria uma garantia de que politicamente...