A MARRAR

Como estreia neste blogue ocorreu-me fazer um tributo a Maria Velho da Costa  pois se é certo que guardo dela o talento literário pelas Novas Cartas Portuguesas e pela Myra, é a gratidão que lhe devo que mais me pesa. Gratidão por ter sido percursora – com outras tantas mulheres e homens, é certo – da assumpção de Liberdade que a minha geração – não obstante as falhas e recuos...

Há por aí um tipo novo de comentadores políticos, de extração académica refira-se (ou seja, não estamos a falar dos já estafados políticos – comentadores, outra singularidade portuguesa no contexto europeu…), que comentam vários assuntos nos órgãos de comunicação, sendo amiúde apresentados como especialistas sobre assuntos políticos, política internacional, política domestica, política de países europeus, política de país latino-americanos, política norte-americana, política do médio oriente,...

Em 28 de Abril de 2020, estive a ouvir na SIC-N um seu subdirector, Pedro Cruz de sua graça, a defender que mesmo depois do fim do Estado da Emergência não interessa nada discutir as questões constitucionais pois, em nome do suposto combate à Pandemia, devemos estar abertos à compressão dos direitos fundamentais, generalizada ou de forma segmentada (tipo confinamento por vários meses dos mais...

A peça foi encenada por Nuno Cardoso e a sua representação, bem como os materiais de apoio que o TNSJ proporcionou aos espetadores são o mote para este nosso texto, no qual refletimos também sobre o jacobinismo radical, em particular, e as transformações revolucionárias, em geral....

Os subscritores deste manifesto reiteram que o problema catalão é de natureza eminentemente política, e que, por isso, carece de soluções políticas e não judiciais, pelo que pugnam pela amnistia imediata dos líderes políticos e associativos catalães presos e que sejam levantadas as acusações contra todos os cidadãos catalães que participaram na organização do referendo de outubro de 2017. E instam os responsáveis políticos espanhóis...

O défice democrático europeu (leia-se na UE: União Europeia) consubstancia-se em vários elementos fundamentais. Em primeiro lugar, há várias instituições não eleitas (BCE, agências de regulação e direções gerais, etc.), ou com ténue pedigree democrático (a Comissão Europeia: CE, por exemplo), que têm um grande poder no funcionamento da UE. É a despolitização tecno-burocrática e a secundarização da democracia nacional pela burocracia europeia que tanto...

Aprofunde-se então os efeitos do regime fascista e a acção de quem o combateu, e teremos, porventura, uma explicação mais aproximada da aversão do eleitorado aos apelos da extrema-direita. É que, passado quase meio século, continua a existir no país uma cultura anti-fascista. E, sobretudo, nunca esquecer que houve uma revolução cujos valores permanecem na memória dos portugueses. Na memória, e nas escolhas, porque não...