Nesta trilogia de textos sobre a «Geringonça», que iniciei no texto anterior do JL e terminarei após as próximas eleições legislativas, focarei agora (II) nas questões da prospetiva. Recorde-se que os resultados da governação da dita «Geringonça» foram muito positivos e excederam todas as expetativas, seja na arena política, seja na arena económica. Como dissemos e demonstrámos no artigo anterior do JL (I), o PS...

Se eu estivesse num sistema com duplo voto, provavelmente votaria para reforçar os dois partidos à esquerda do PS, mas como só tenho um voto, apoiarei claramente o BE porque é aquele que me garante, em principio, uma maior influência para uma governação progressista na arena socioeconómica, um europeísmo crítico, e uma atitude firme em defesa da democracia em Portugal e no mundo....

Aproximando-se o final da XIII Legislatura e com eleições gerais marcadas para 6 de outubro, impõe-se um balanço do «governo de esquerdas», mas também alguma prospetiva. É precisamente isso que me proponho fazer no presente e, em principio, numa série de mais dois artigos a publicar em setembro e outubro. O presente texto (I) foca mais nas questões do balanço. O texto seguinte (II) focará...

O défice democrático europeu (leia-se na UE: União Europeia) consubstancia-se em vários elementos fundamentais. Em primeiro lugar, há várias instituições não eleitas (BCE, agências de regulação e direções gerais, etc.), ou com ténue pedigree democrático (a Comissão Europeia: CE, por exemplo), que têm um grande poder no funcionamento da UE. É a despolitização tecno-burocrática e a secundarização da democracia nacional pela burocracia europeia que tanto...

A existência de um acontecimento que é simultaneamente excepcional, supletivo e temporário é o algoritmo perfeito da redundância, da sua nulidade, tão improvável que para ser enunciada deve ser procurada a razão da sua enunciação. E, salvo melhor explicação, ela, a redundância, não passará então de uma construção para ocultar os acontecimentos que em devido tempo darão entrada no sítio onde hão-de ter lugar....

No presente artigo, pretendemos sobretudo fornecer um relato geral e interpretativo da campanha e dos resultados das eleições de 28 de abril de 2019. Começamos por dar uma visão geral da campanha, dos dois grandes medos em confronto, das posições dos partidos sobre os principais temas e dos debates na TV. Na última secção, iremos dar uma perspetiva dos resultados, do carácter tardio das decisões...

Aprofunde-se então os efeitos do regime fascista e a acção de quem o combateu, e teremos, porventura, uma explicação mais aproximada da aversão do eleitorado aos apelos da extrema-direita. É que, passado quase meio século, continua a existir no país uma cultura anti-fascista. E, sobretudo, nunca esquecer que houve uma revolução cujos valores permanecem na memória dos portugueses. Na memória, e nas escolhas, porque não...