Relembre-se que a CARRIS foi “salva” in exterminis da privatização, quando da tomada de posse do novo Governo. O PSD, que hoje uma vez mais se mostrou contra a municipalização da CARRIS, avisando que «as consequências financeiras da responsabilidade assumida serão demasiado pesadas para o município», preparava-se para entregar a CARRIS à AVANZA, um grupo económico privado, de capitais mexicanos, que iria ter na CARRIS e...

A situação portuguesa nada tem que ver com a situação americana, como sugeriu Nuno Garoupa, porque a maioria parlamentar teve maioria de votos e tem maioria de lugares no Parlamento, por isso e porque foi capaz de se entender é que pôde formar governar, enquanto que nos EUA há um «vencedor errado» (teve menos votos do que o que perdeu na «secretaria», no colégio eleitoral,...

Talvez a abertura da exposição de Lisboa Global no Museu de Arte Antiga em Lisboa, adiada por razões até à vista inexplicáveis, nos possa abrir perspectivas, e ajudar-nos a perceber que se já fomos os pioneiros da globalização, agora será no quadro da Pátria da Língua Portuguesa que seremos ou poderemos ser os pioneiros da nova globalização. Saibamos olhar para o mundo com os olhos da...

É por isso que, na ordem das prioridades, a situação espanhola tem de ser acompanhada com outro sentido político, é obrigatório defender o governo do Syrisa, assim como não se deve baixar a guarda quanto à solução política encontrada em Portugal. Porque se tudo correr mal na Holanda e em França vai ser necessário que uns quantos continuem a defender a União Europeia, sob...

O recuo da hospitalização pública está em risco de recuar ainda mais, considerando a ambição do actual presidente da Associação Portuguesa da Hospitalização Privada - "O futuro da saúde em Portugal passará inevitavelmente por hospitais privados e hospitais privados de qualidade“ (Óscar Gaspar, Lusa, 16/10/2016). Mas não só. A estratégia ensaiada pela tutela em nada combate aquele objectivo, pelo contrário vem facilitar o traçado de...

Enquanto não se sair da caixa, enquanto não se passar a porta das instituições onde se prestam cuidados na doença e começar-se a trabalhar com os actores sociais das comunidades locais, o que eventualmente se possa vir a passar fica infinitamente aquém do que se devia passar...

Acontece que é do mais elementar conhecimento científico disponível que a exposição recorrente e contínua, particularmente das crianças e jovens, mas também dos adultos, ao debate livre e aberto, à crítica e à altercação cultural, à tensão do contraditório e do diferente, é essencial na configuração das emoções necessárias ao respeito e à exigência do pensamento diferente e ao respeito pela liberdade e diferença individuais....