A RUMINAR

1 - O alívio das correntes democráticas que se opõem ao autoritarismo, à xenofobia e ao racismo foi grande com a derrota da candidata da extrema-direita. Devem excluir-se destas aqueles setores, supostamente de esquerda, manifestamente indiferentes a uma eventual vitória de Marine Le Pen. 2 - Cerca de um terço dos votantes confiou em Le Pen. Uma posição clara e atempada da candidatura de J.-L. Mélenchon teria por certo limitado os danos. Não pode esquecer-se que dois terços dos seus ativistas, em referendo interno, defenderam o voto branco ou nulo. E que um número razoável dos seus eleitores apoiou agora a extrema-direita. Dir-se-á, pois, que em votos efetivos, a extrema-direita rondará os 20%, o que corresponde à votação na primeira volta das presidenciais.

Para Norberto Bobbio, o sectarismo em política traduz-se na condescendência para com aqueles que partilham as mesmas ideias e num ódio declarado a todos os que não pensam da mesma forma. Os sectários entrincheiram-se num sistema de pensamento único, recusando tudo o que dele se afaste ou que lhes pareça fragilizá-lo. Fazem-no mesmo quando, por razões conjunturais, são forçados a dialogar com quem divergem em muitas das posições ou escolhas. Mas só cedem em último caso, quando não lhes resta alternativa. Levam então o seu sectarismo para recantos onde ainda o podem exercer: em círculos sociais restritos, partilhados por outras pessoas do mesmo grupo, ou então procurando, por omissão ou silêncio, sabotar as iniciativas que ponham em causa aquelas certezas das quais de facto jamais abdicaram.

Vou à página de abertura do site do Partido Socialista e não encontro uma menção sequer à situação política em França. Vou à do PCP, e deparo com o mesmo silêncio, à parte uma pequena notícia que apenas menciona «a luta do povo francês». Vou ao esquerda.net - o rosto mais comunicante do Bloco - e vejo apenas uma referência ao facto de Mélenchon ter...

Trata-se de equacionar, desenvolver e aplicar medidas que têm uma forte componente intersectorial, em que as comunidades hão-de participar com capacidade de decisão. Mas para o efeito, torna-se necessário que os governantes sejam suficientemente clarividentes para fazerem do princípio da prevenção o principal instrumento da política de saúde. E o princípio da prevenção é a estratégia que conhece os riscos, que antecipa...

Nem sempre está tudo dito sobre os factos históricos conhecidos. Há quase sempre acontecimentos que ficaram por explicar, dados que foram omitidos, razões que não foram valorizadas. Embora muito do que aconteceu à época se mantenha desconhecido, sobretudo no que diz respeito à esfera militar, a obra do jornalista Miguel Carvalho, Quando Portugal ardeu, recentemente publicada, reúne novos depoimentos e lança novas pistas sobre...

A realidade social do catolicismo português é plural. Há uma forte presença da direita política, mas a esquerda plural portuguesa, designadamente o PS, o PCP e o BE, não teriam o profundo enraizamento que têm na sociedade portuguesa, se neles se não reconhecessem e militassem muitos militantes de origem católica. Nem poderia ser de outra forma. ...

Porém, se tudo visto e analisado, a decisão for no sentido do desenvolvimento do que, em boa verdade, ainda não passa de um projecto mais ambicioso, então o programa dessa ambição terá necessariamente outros ingredientes e outras exigências, que vão muito além da política de reposições e de aperfeiçoamento de alguns mecanismos de governação....

Estar associado ao legado do brutal aumento de impostos é qualquer coisa em que MRS não deseja envolver-se. Se os grandes braseiros brotam das pequenas faíscas, como certa vez afirmou Richelieu, todo este parasitismo institucional poderá ver-se alterado no caso de, nas eleições autárquicas, o PSD não sofrer perdas significativas e, por essa razão, o líder do PSD vir o seu poder reforçado e legitimado....