A MARRAR

Se é verdade que “rebeldia” e “precariedade” rimam com a condição juvenil talvez seja oportuno propor uma reflexão onde se questiona qual desses termos se mostra, hoje em dia, mais pertinente para definir a atual juventude. Por outras palavras, será pela irreverência e rebeldia ou antes pela capacidade adaptativa que o chamado “precariado” pode deixar a sua marca na sociedade? É essa a questão que...

Recentemente, três eventos políticos, dois nacionais e um internacional - que recebeu bastante atenção entre os nossos comentaristas políticos -, colocaram em destaque a necessidade de que o campo de esquerda ou centro-esquerda voltasse a se preocupar em ouvir mais a população ao definir suas pautas eleitorais. O primeiro deles, internacional, foi a eleição presidencial francesa que, se de um lado, mobilizou o receio de...

1 - O alívio das correntes democráticas que se opõem ao autoritarismo, à xenofobia e ao racismo foi grande com a derrota da candidata da extrema-direita. Devem excluir-se destas aqueles setores, supostamente de esquerda, manifestamente indiferentes a uma eventual vitória de Marine Le Pen. 2 - Cerca de um terço dos votantes confiou em Le Pen. Uma posição clara e atempada da candidatura de J.-L. Mélenchon teria por certo limitado os danos. Não pode esquecer-se que dois terços dos seus ativistas, em referendo interno, defenderam o voto branco ou nulo. E que um número razoável dos seus eleitores apoiou agora a extrema-direita. Dir-se-á, pois, que em votos efetivos, a extrema-direita rondará os 20%, o que corresponde à votação na primeira volta das presidenciais.

Avança-se cada vez mais rápido na direcção do partido líquido, sem ideias, projectos e sempre mais virado à direita. Mais, agora que Emmanuel Macron, também ele jovem como Renzi, conseguiu ter uma forte afirmação, muitos em Itália olham para a experiência francesa, onde o partido se transformou num comité eleitoral de cunho tão pós-moderno que faz lembrar os modelos políticos de Oitocentos....

Marcelo é um político do centro-direita - e um político inteligente. A sua formação, como ele próprio recordou há pouco, foi feita dentro de uma correnre de "direita social", próxima do que poderia ser em Portugal uma democracia-cristã ou mesmo um social-cristianismo. Como tal, sente-se próximo do grande entendimento entre centro-direita e centro-esquerda que ergueu o modelo social europeu no pós II Guerra Mundial. Apesar...

Muito antes de ser Presidente da Republica, como o próprio recordou na visita ao Colégio Moderno feita esta semana, Marcelo era (diz que há 50 anos!) analista político. E também foi largas décadas professor de Direito Constitucional. Já sabíamos: novato nestas coisas é que ele não é! Como constitucionalista, Marcelo sabe algumas coisas sobre o os poderes do PR: a Constituição da República Portuguesa define uma...

A nova geração da robótica e as formas mais recentes de automação e de “inteligência artificial” instalaram-se no debate público. Entre as “promessas” de uma vida preenchida pelo ócio em vez do trabalho e as “ameaças” de uma generalização do desemprego, pobreza e precariedade, é hora de nos interrogarmos quanto aos impactos prováveis da atual onda de inovação no mundo do trabalho e na sociedade. O...

Questão 1. Sabemos que na adolescência tudo é vivido a 300%. Que a euforia característica destas idades se manifesta muitas vezes em distúrbios e vandalismo. Porque têm os jovens esta necessidade de se afirmarem pela negativa? EE: A sociedade tem caminhado para um crescente individualismo, mas ao mesmo tempo os jovens são alvo de uma certa condescendência por parte das famílias, onde o número de filhos...

Num momento em que a inovação tecnológica, o trabalho digital, a robótica e as mais diversas redes informacionais parecem inaugurar um novo ciclo de atividades e formas de prestação de trabalho, torna-se necessário questionar as alterações em curso no mundo do trabalho e os seus impactos na sociedade mais geral. O presente texto procura interpretar o sentido das mudanças ocorridas no mundo laboral, segundo uma...