A ESCOICEAR

Dentro de dias realiza-se no Brasil a segunda volta das eleições presidenciais, em que se apresenta um candidato, Jair Bolsonaro, que promove o elogio da tortura e da ditadura, que propõe a discriminação das mulheres e o desprezo pelos pobres, representando uma cultura de ódio. Contra ele, quem assina este apelo manifesta a sua solidariedade com a democracia e com os direitos sociais do povo...

Para a maioria de esquerdas poder seriamente apostar na sua reedição após 2019, e num futuro mais sólido, será preciso mais ousadia e determinação (do PS) na reposição de algum equilíbrio nas relações laborais, a verter num eventual novo acordo político…, e, para tal, uma transformação significativa do perfil e funções da UGT é também necessária, nomeadamente quanto ao papel dos socialistas no seu seio....

O que é particularmente revelador e inquietante no mundo do associativismo estudantil é que ele obedece cada vez mais ao princípio do poder pelo poder. Explicando melhor: quem tem qualidades de liderança (leia-se, afirmação de força), em geral reconhecidas quase instintivamente pela “plebe”, pode aperfeiçoar os seus talentos de autoritarismo junto dos núcleos de acólitos que se mostram disponíveis para seguir cegamente as suas ordens....

Com a última declaração sobre o critério para equacionar a sua recandidatura à presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa abriu a caça ao vale tudo, esse animal que tanto pode ser o escaravelho como o mamute. E esse critério, exclusivo, seria a repetição dos acontecimentos do verão/outono de 2017. A deslealdade atinge, assim, o seu valor mais elevado na bolsa de valores quando afirma...

Só as ditaduras, as «democraduras» ou as «dictablandas», têm presos políticos. Só elas prendem dirigentes políticos e associativos legitimamente eleitos como representantes do povo e que nunca usaram da violência política para defender os seus ideais, acusando-os de crimes de "rebelião" e "sedição" para tal interpretando como "violência" o exercício do direito fundamental de manifestação ou de expressão. Nós, pelo contrário, não calamos a nossa...

Não vale a pena absolutizar a Constituição: numa ordem política democrática, quando o Estado de Direito e a democracia entram em conflito, então é preciso negociar e deliberar para encontrar uma saída, necessariamente de índole política. É isso que tem faltado em Espanha e na sua relação com a Catalunha....

Para nós, a independência da Catalunha, a manutenção do atual estado de coisas ou qualquer outra solução política é uma questão que deve ser decidida pelos catalães, sobre a qual não nos pronunciamos. Mas, cidadãos de uma República cuja Constituição estabelece que "Portugal reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento, bem como o direito à insurreição contra todas as formas...

A deriva neoliberal dos partidos sociais-democratas e dos que mantiveram a designação de “socialistas”, teve sobretudo a ver com a adopção de um posicionamento ideológico de que “não haveria alternativa” ao modelo político-económico dominante, tendo em conta o fracasso do “socialismo real” (posto em evidência com a implosão da União Soviética), as suas repercussões à esquerda, e a globalização galopante, sob o comando do capital...